A Tragédia no Rio de Janeiro trás à tona a intolerância religiosa


Segundo o depoimento do tenente-coronel Ibis Pereira , porta-voz da Polícia Militar, o jovem Wellingon Menezes de Oliveira , de 24 anos , assassino das 13* crianças da Escola Municipal Tasso da Silveira , em Realengo , nesta quinta-feira , 7 , escreveu uma carta antes da ação , o qual entre uma série de frases desconexas aparentava ser fanático religioso. A informação de que ele seria islâmico partiu da própria irmã do rapaz. Em nota , Jamel El Bacha , presidente da União Nacional das Entidades Islâmicas do Brasil , nega qualquer relação do jovem com a religião. Wellington Menezes de Oliveira não era “muçulmano e não tem qualquer vínculo com as mesquitas e sociedades beneficentes mantidas pela comunidade”, comentou.

Foto: Reuters

O fato que é esse suposto vínculo deu pano para manga suficiente para uma série de mensagens com teor preconceituoso contra a religião.

Uma série de Blogs , sendo a maioria deles fanáticos católicos e evangélicos anunciam a “notícia” como sendo um “Massacre Islâmico contra o Rio de Janeiro” , “Fundamentalista Islâmico ataca e mata 11 crianças no Rio de Janeiro”. Se respaldando em uma suposta informação dada por um Coronel da Polícia Militar o qual conferia a religião às palavras do jovem , e de que na carta ele pediria para que seu sepultamento fosse feito segundo os rituais do islamismo. Informações estas já negadas pela União Islâmica, do Brasil.

Diversas mensagens no Twitter descriminam o Islamismo , como sendo a causa pelo fanatismo do assassino , como sendo a religião,  a mentora intelectual para tais atos. Apresentando total ignorância sobre os fatos como sobre a religião acusada.

“Não sei porque tem tanta gente impressionada com o cara q matou as crianças no Rio. Ele apenas seguiu a religião dele (#islamismo).

Bacha condenou veementemente o ato “insano e inexplicável” do rapaz e informou que os princípios do Islã “pregam a conduta pacífica de seus adeptos e exigem de seus seguidores uma postura absolutamente diversa a que algumas pessoas querem, de forma precipitada, atribuir à religião e seus adeptos”. O Alcorão, diz o líder islâmico, apregoa que “quem tirar a vida de uma pessoa inocente é como se tivesse assassinado toda a humanidade”.

Não vamos usar tragédias como essas para incitar ainda mais a intolerância cultural e religiosa , além do preconceito e da discriminação , para meras disputas clânicas. E para os que pregam a ignorância , fica a lei :

A Constituição Federal, no artigo 5º, VI, estipula ser inviolável a liberdade de consciência e de crença, assegurando o livre exercício dos cultos religiosos e garantindo, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e as suas liturgias.

 

Links de dois Blogs supostamente jornalísticos, de cunho religioso:

http://gritosdealerta.blogspot.com/2011/04/fundamentalista-islamico-ataca-e-mata.html

http://jornalimpactoreal.blogspot.com/2011/04/massacre-islamico-no-rio-de-janeiro.html

*número contado até a última atualização deste fechamento

Anúncios

Sobre UnderlinePV

"Sei o que faço, Amo o que faço e faço bem" Paulo Victor Fanaia é Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto-MG
Esse post foi publicado em Matérias. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para A Tragédia no Rio de Janeiro trás à tona a intolerância religiosa

  1. UnderlinePV disse:

    Lamentamos o tamanho das letras , problemas com o editor do site , WordPress.

    Curtir

Deixar um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s